27/01/2008

..à espera de alguém que não chega!

...até podia ser um bom sketch dos Gato Fedorento não fosse o facto de ter sido uma situação real e ter envolvido uma morte. Aquele diálogo ao bom estilo à Beckettiano dos dois tipos estão à espera de outro que nunca mais chega!No caso concreto o infeliz que atendeu o telefone em Alijó e a operadora do CODU de Vila Real (se não me falha a memória!). No fundo...mesmo onde a luz já não ilumina, nenhum deles tem culpa do vazio que existe hoje em termos de cuidados primários de saúde. Do outro lado da linha, espera-se por nada e esse nada, é o que de facto existe. O resto, o tudo, são as palavras que servem apenas para realçar o contrário. Servem para dar sentido ao medo que sentimos quando não sentimos o sentido das coisas. Talvez mesmo a culpa morra solteira, porque na realidade não é o ministro que sentado aqui metrópole do tudo, vai resolver as inoperacionalidades suscitadas pelo facto de existirem 50 km para percorrer em plena serra, ou um centro de saúde onde sempre faltaram médicos, ou mesmo um quartel de bombeiros que por falta de verbas só pode ter um efectivo de noite e nem tenho dinheiro para pagar o gasóleo!
A culpa é de todos nós que apenas e somente almejamos o tudo nos grandes centros urbanos e que aos poucos fomos inconscientemente definhando o interior esquecido nas entrelinhas do nada.

Independentemente disso, casos deste não se podem repetir, nem devem repetir!...

1 comentário:

Sutra disse...

Mas infelizmente vão continuar a repetir-se...

Não sabia que estava linkada no ovo estrelado :P

Gosto de ovos estrelados...

Bj doce