18/02/2008

..Veneza aqui tão perto

...por momentos tive a percepção que estava em Veneza! Não na Veneza dos postais, a Veneza dos Medici, iluminada, cintilante (vou omitir o cheiro do Gran Canal!!). Não! A Veneza do caos, a Veneza das inundações na Piazza S.Marco...mas muito pior. Constrói-se em leitos de cheia, impermeabiliza-se solos indiscriminadamente, não se faz a manutenção dos sistemas de drenagem pluvial. De quem é a responsabilidade? Câmaras, Governo Central? Incúria, mau planeamento, construções clandestinas. Ninguém vê, ninguém repara, ninguém dá o primeiro passo, mas por vezes acontece...E no meio deste paradoxo...surge uma voz que brada no deserto, uma espécie de S. João do Urbanismo: o percursor de um sonho. É nestas alturas que as sábias palavras do Arqto. Ribeiro Telles estravasam o mundo da utopia e constituem-se a pura razão dos factos.Tal como S. João, também o Arquitecto é constantemente decepado pelo silêncio que lhe é imposto: a vozes que ferem o poder são silenciadas. Resta-nos ouvir resignados a opinião dos especialistas do costume e olhar incrédulos para os erros do costume.

De balde e esfregona na mão, toca a limpar Veneza, mas antes crie-se uma comissão para analisar o problema!!...