27/06/2009

...uma questão de 233 milímetros!

...e que semana esta! Morreu o Michael Jackson [Jackson Five], o homem-criança [ que de criança pouco tinha], morreu a Farrah Fawcett Anjos de de Charlie!!, saiu o manifesto dos 28 economistas logo contra-argumentado com o manifesto dos 50 e tantos, e tudo isto sem que o nosso PM se apercebesse [riso histérico] que a PT pelas mãos do bravo Zeinal, conspirava com os senhores da Prisa uma forma elegante de ser ver livre das amarras do Moniz e da pivot dos jornal da TVI das sextas-feiras! Que semana caríssimos. No meio, umas pitadas de desconcerto no seio dos membros do governo, sintoma de epitáfio e mais uma argolada do señor Lino: finalmente admitiu que já não tem capacidade para levar a bom porto um ministério que se afunda cada dia que passa. A cada frase do ministro e a cada recuo, alimenta as ávidas rapaces da intriga politiqueira de São Bento. Mas, é mesmo assim. Já nos habituamos noutras alturas, que se lembra dos últimos dias lamacentos do consulado do guterrismo, da podridão do capítulo final do cavaquismo, recuando un peau plus, ou quem não se recorda do governo em festa sem rei nem rock do candidato à câmara de Lisboa Santana Lopes?Felizmente, o inquilino em Belém decidiu acordar e aos poucos tem colocado alguns freios ao ímpeto característico dos governos à beira da sombra [uma espécie de governo sombra mas em actividade]. Do outro lado da europa democrática e livre, no vizinho Irão, foi graças ao Twitter da que fomos descobrindo que afinal a revolução verde acabou manchada de sangue. Não obstante o número de votos ter sido superior ao número de votantes, facto de somenos importância para a comissão de Ayatollahas local, o certo é que aquele senhor que não sabe aparar a barba, e que está a necessitar de aconselhamento no que toca a indumentária, vai levar a dele avante...sem que nada nem ninguém lhe faça frente!...o mal é deles, eles que se cuidem!...mas ajudava se alguém informasse o senhor que a roupinha que os assessores lhe compram não dá nada com nada!...mas voltando à vaca quente: as eleições e as grandes obras!

Por um lado compreende-se que as eleições sejam efectuadas no mesmo dia, facto que não me choca visto que não é inédito em países ditos normais. Cá pelos vistos, para a maioria dos partidos é algo bizarro e ambíguo. Dizem que assim se aprofunda o debate...boa piada, só não dizem que aparte do pormenor do Estado [nós] gastar 10 milhões de euros em autoca«olantes e cartazes! viu-se nas mais recentes eleições europeias, viu-se nos últimos actos legislativos. Eu pessoalmente autorizava então os dois Pebli scita mas com uma nuance, o famoso cliché 2 pelo preço de 1. Dada a proximidade dos actos eleitorais, os partidos só deveriam receber por parte do Estado o montante necessário para apenas uma eleição. Afinal de contas, as legislativas têm início oficial no dia seguinte às eleições autárquicas! Da minha parte será um prazer carregar (ou não) a cruz para ditar a minha vontade, as vezes que forem necessárias. Afinal nesta democracia participativa [pausa para uma gargalhada de fundo!], esta é a oportunidade de nos podermos expressar,bem pensando bem talvez ainda sobrem as petições na internet!!

Relativamente ao TGV , NAL e obras afins, sou muito claro. Sou contra uma linha para o Porto e dai para Vigo, pois a REFER tem obras recentes na Linha do Norte que ainda não estão totalmente rentabilizadas, para além disso, o que se vai ganhar em termos de duração da viagem [fala-se em 15 minutos!!] não me parece que seja economicamente defensável face ao custo previsto [sem derrapagens, graças ao novo Código dos Contratos Públicos]. Sou sim a favor de uma ligação a Madrid, vocacionada sobretudo para mercadorias. Isto porque não acredito na viabilidade de uma linha quase exclusiva para transporte de passageiros! Quem quer ir a Madrid, Barcelona, Bilbao ou Paris apanhará mais convictamente um avião!...acredito mais no fortalecimento dos portos nacionais, na criação de grandes plataformas logísticas, essas sim geradoras de emprego e de modernidade. Certamente que muito boa gente não tem tempo para ler jornais e não se apercebe que o tráfego marítimo no Porto de Sines tem sofrido um incremento significativo nos últimos tempos mercê da competitividade que oferece face a outros portos do Norte da Europa! Mas neste momento existe outro factor a ter em conta: a questão da bitola ibérica! para quem está a milhas de distância recomendo uma consulta ainda que diagonal ao Plan Español de Infraestructuras y Transporte.
O Ministério do Fomento [o equivalente ao mistério do nosso Lino], encomendou um estudo para acabar com quase 12 mil quilómetros de via férrea com especificação da designada "bitola ibérica", também utilizada em Portugal. A ideia dos nosso hermanos visa substituir a bitola ibérica (1 668 milímetros) substituindo-a pela europeia (1 435 mm). Este pequeno detalhe não deve e nem pode ser ignorado por todos aqueles que se opõem ferozmente a todo o tipo de grandes obras. O futuro, não me parece que esteja na terceira , quarta ou quinta auto-estrada Lisboa/Porto, mas no caminho de ferro. É mais ecológico e produz bastante menos CO2!!...além

Fora isso, tudo bem.


(foto by: Esquerda Monárquica)

1 comentário:

ALFF disse...

Bem tu andas inspirado!

Como eu gostava de conseguir deixar fluir o pensamento. Sinto que estão bloqueados os meus devaneios.

Deve ser este tempo que anda tão incerto que me deixa com o stress do inverno!