31/12/2009

...paralelo 09




Este país não é para fracos. Quando era pequeno nos últimos bocejos da televisão a preto e branco, no tempo do mono e da onda média, ouvia falar em crise. Depois veio a cor, deixamos de ter aqueles filtros inúteis estilo banha da cobra em formato arco-íris, para nos ludibriar a vista [um pouco com o preço dos bilhetes para os filmes 3D actualmente!] e mantivemos o acento tónico na crise. Entretanto alguém se lembrou que estávamos agarrados à Europa e entramos no Club Vip, mas a crise essa também nos acompanhou. Chegados a 2009, voltamos a viver a mãe de todas as crises!
Como diria muito bem o nosso Sócrates "está para nascer um primeiro-ministro que faça melhor no défice”, é verdade, pior só mesmo o próprio. Então se olharmos atentamente para a margem de progressão no desemprego, o panorama ainda é mais arrepiante!
Vivemos estes doze meses num autêntico exílio de ideias e ideais, fomos bafejados com a triste sina de três actos eleitorais que apenas serviram para demonstrar a inexistência de soluções tanto à esquerda como à direita. Passamos metade do ano a discutir o medo de dizer a verdade, a asfixia democrática, o medir de ir contra o aparatchik, e outra metade com notícias de escutas entre o local mais sagrado de Portugal, Belém e o lugar mais santificado, São Bento, como se os Deuses estivessem loucos, e a garrafa de Coca-Cola nos caísse em cima.

Exultaram os ressabiados de um lado e vilipendiaram os ofendidos do outro. No final meia dúzia de cassetes e muita coisa por explicar.
Qual país da américa latina, temos um primeiro-ministro que é acusado de falsear a o seu grau académico, de ter amigos com ligações perigosas, que coloca escutas, que dá uma ajuda em negócios obscuros, que se irrita facilmente, e que troca de telemóvel como quem troca de ceroulas. Enfim, o aquecimento é global, mas a culpa também é dele. Também temos a sorte de ter uma oposição que entre os caos e as guerras serôdias dos barões do PSD com uma líder titubiante inapta políticamente, que se vê constantemente relegada para um plano menor, por um demagogo barato "trotskista", que golpeia a golpes de picareta todos aqueles que hasteiam as bandeiras da esquerda democrática ou, o que dizer do pupilo do Pai dos Povos, esse Estaline incompreendido? sobra-nos sempre o eterno adónis,o jovem Portas, amante do Farmville e de tudo o que diga respeito a peixeirada e a comissões parlamentares (que é basicamente a mesma coisa!).
Este ano em que os senhores do capital olharam para a calculadora, em que os bancos multiplicaram lucros, enquanto famílias numerosas ficavam sem casa, sem futuro e sem esperança, nem mesmo a baixa dos spreads bastou para aliviar o pesado fardo da profunda crise de ânimo.
Sente-se a tristeza no gume de cada rosto.

Num ano em que se fez história com o tal défice (que é a culpa dos outros!), postularam-se novas formas de previsão das contas públicas, ,mas animem-se as hostes, pois o nosso train à grande vitesse já arranca qual comboio a vapor [enquanto mergulhamos a centenária linha do Tua], e o futuro aeroporto já não é uma miragem no deserto que um dia alguém quis acreditar que existia. Ainda respira este país, apesar da crise! Que o digam os concessionários da Porsche e as agências de viagem neste final de ano, fora o resto. O mesmo não se pode dizer do inquilino de Belém que, para além promulgações comentadas, nada mais diz a não ser "Não comento"!

Felizmente este ano há eleições presidenciais, quem sabe se não vamos ter uma surpresa!!Quem excelente tónico seria se a alegria invadisse de novo esta gente que tão bem sabe a amar os seus poetas!
Como diria um colunista do DN, em Portugal não se reconhece o valor da liberdade. Ainda não revelamos todas as conquistas de Abril, pois há ainda [e infelizmente!] muito joio a desbravar, olha por exemplo na justiça, que afinal não surda, nem cega. Ouve bem , e de quando em vez parece que ouve demais! Outra particularidade, é que é mais lenta que a tartaruga, mas uma verdadeira lebre no que toca a injustiças e prescrições.


Mas chega de prolixidade, vamos ao que interessa, às contas de merceeiro para o Ano Novo que se aproxima:

- Em primeiro lugar, emprego! Um emprego que possibilite acordar cedo e reclamar que nunca mais é feriado, ou que nos faça sorri ao final da semana, véspera de fim de semana;
- Saúde..para podermos, adormecer descansados em cima de um livro que demora uma eternidade a folhear;
- Tempo...para podermos brincar, sonhar e desejar que os números certos cheguem finalmente um dia destes, e que deixemos de ser mecenas anónimos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa;
- Fé..para podermos acreditar
- Acreditar...que somos pessoas de bem;

...e o resto das coisas banais com que geralmente nos engasgam ao engolir as 12 passas inoculadas no espumante barato, enquanto lá fora milhões explodem em alegria no ribombar de explosões de luz e cor!..e outros tantos nem por isso....


Feliz Ano Novo e Votos de um 2010...um bocadinho melhor que este que agora se vai!
...de má memória inscreva-se na lápide!

PS: ...alguém se importa de baixar a merda da temperatura do planeta, por favor!?e j´agora que apague a luz que a a EDP vai aumentar as tarifas!

4 comentários:

Telmo disse...

Olá, nem tenho palavras para comentar, tu disseste quase tudo, e sublinho totalmente as tuas palavras, mas vamos ter esperança, espero eu!..Aproveito para te desejar uma boa passagem de ano junto da família e que 2010 te traga pelo menos parte daquilo que desejas, já não digo tudo pois talvez estivesse a exagerar, grande abraço..

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

ALFF disse...

Afinal foste tu que mandaste vir o frio!

Vai ser melhor claro, não te disse já que 2010 vai ser de arromba da cabeça aos pés :)

O ovo estrelado disse...

....de arrombar já ele está! só espero que não chegue aos pés!