18/03/2010

...anjo da guarda

(foto by: blandisca)

...escrevo estas palavras num período de praia-mágoa como diria Pessoa. Algo se passa no horizonte, mas por mais distante ou menos claro que seja o ondular do mar, o fim não se advinha e o presente não se retrata. Ainda invocando o poeta que escreveu um dia:



O sonho é ver as formas invisiveis
Da distância imprecissa, e, com sensíveis
Movimentos da esperança e da vontade,
Buscar na linha fria do horizonte
A árvore, praia, a flor, a ave, a fonte-
Os beijos merecidos de verdade.



Também eu anseio por essa capacidade de entender o que as pedras ocultam, e o que o vento sussura incessantemente.
Por onde andas tu meu anjo da guarda?porque obras e esforços intérpidos me silencias o caminho e apagas o sentido da clareza?

1 comentário:

ALFF disse...

Ele está ao teu lado tu é que fazes sempre questão de ouvir mais o diabito que se encontra na outra ombreira lol
Pára, escuta e sente e vais ver que tudo se compõe :)
Um belo registo da amiga Sofia com esse teu texto tão sentido e explícito.