01/08/2010

...milagres de um santo desconhecido

...por estas paragens existem duas formas saudáveis de acordar: ou por via do toque do sino da torre da igreja [que o senhor abade insiste em calar de madrugada para não interromper o leve sono dos fiéis] ou por causa de um qualquer ditoso galo mais madrugador que ao romper da aurora e das restantes amigas, entra em disputa com o galo do galinheiro vizinho, cena que se prolonga dia fora até que um deles deite a tolha ao chão, ou seja vitima de um arroz de cabidela. Seja de uma forma ou outra, bem cedo desci até ao vale para refrescar a memória da vila e sentir o pulsar do rio. Estava no mesmo local, mas aparentemente cresceu para o rio que a viu nascer. Desta vez os ideólogos da câmara decidiram dar uns retoques estéticos no rio e preparam-se para diminuir a secção do leito de cheia com um murete que segue rio abaixo, passando e obstruindo parte da parte medieval da ponte histórica de Ponte de Lima. É de bradar aos céus e à inconsciência desta gente! Mas este tipo de intervenções divinas dos santos milagreiros da vila são apenas a ponte do véu de "obras menores" que a cabecinha desta gente anda a congeminar. É pena pois a vila merece mais e o areal [com ou sem carros], não necessitava de aromatizar a sua matriz áurea, com mais uns quantos metros de pasto citadino, ou meia dúzia de cais em paliçada a bordejar as águas do Lima para turista se poder sentar enquanto toma o seu refresco de vinho verde à pressão e se afoga num prato de rojões. Como se não bastasse o general Decimus Iunius Brutus [alter-ego do anterior inquilino do Paço] ficar por vezes com a água pelas caligae, parece que a actual vereação pretende dar água a todos aqueles que lutam pela preservação do traçado  arquitectónico da vila. O que se segue? Ecrãs planos com publicidade estática no Largo do Camões e projecção de jogos de futebol? um parque infantil no largo da Igreja Matriz que ainda tem espaço?Colocar a feira no topo da vila? Se o objectivo é valorizar as margens do Lima, mantenham feira com a peculiaridade de sempre, baixem as tarifas pornográficas que cobram aos feirantes. Deixem a vila respirar com a mesma dose de romantismo que os poetas a cantam. E por favor não estraguem mais, tá?

2 comentários:

ALFF disse...

Posso dizer-te que a correcção deste erro fatal debaixo da ponte acabou por superar!

ALFF disse...

Posso dizer-te que a correcção deste erro fatal debaixo da ponte acabou por superar!