01/07/2009

...os olhos de ver


"- Os olhos de quem se ama nunca se vêem.
- Entendo - afirmountunzi, recuando às mil cautelas.
- Tem medo de mim, Ntunzito?
Mais um passo atrás e Ntunzi se desamparou num abismo e ainda hoje ele está tombando, tombando, tombando . Para meu irmão o ensinamento era claro. A cegueira é o destino de quem se deixa tomar de assalto pela paixão.: deixamos de ver quem amamos. em vez disso, o apaixonado fita o abismo de si mesmo.
-As mulheres são como as ilhas: sempre longe, mas ofuscando todo o mar em redor."


Mia Couto, in Jerusalém
(foty by: Pedro Gonçalves)

2 comentários:

ALFF disse...

Somos mesmo um mar de confusões. Mas penso que essa confusão não tem sexo, tal como os anjos ;)

O ovo estrelado disse...

..a Sophia de Mello Breyner tem um verso que fala sobre "viver do avesso". Não é uma questão de confusões, é apenas uma questão de ainda não estarmos cientes da melhor forma do botão entrar na casa; ou se a costura da roupa que o nosso coração veste tem a costura para dentro ou para fora.