03/01/2009

...palavras abraçadas

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill

5 comentários:

ALFF disse...

Ainda gostava de saber o porquê dessa foto?!

Mais um belo texto, deves ter muito que fazer deves :D

Explica-me por favor, pois eu tenho um gravíssimo problema que é falta de tempo ou péssima gestão de tempo, como faz um pai, marido e profissional para ver, encontrar e analisar todos estes textos e expo-los aqui de forma sempre tão interessante?

Agora por exemplo, já devia estar a dormir muito profundamente. Mas só tenho estas horas para ver estas coisas que eu tanto gosto :)
E hoje tou a perder-me porque vim para trabalhar mas não consigo.
Então navego entre a mente e as teclas até que o sono venha.

Que ao que parece já deu os primeiros sinais.

Bjs ou abraços cordiais como tu agora insistes :D

O ovo estrelado disse...

...eu trabalho 9/10 horas por dia, chego a casa e ligo o computador e o portátil, trabalho nos dois, oiço música, falo, janto, resmungo e deito-me quase todos os dias à meia-noite apara acordar às 7 e tentar estar por volta das 8h30 no work! Trabalho por vezes ao sabado...e tenho outra particularidade! Faço uma boa gestão de tempo! Tenho tempo para tudo!

ALFF disse...

Era tipo essa gestão que eu gostava de aprender. Dicas?!

Essa do chegar a casa ligar o pc já é novamente para regressar ao trabalho logo já não consigo(EU). Pois o meu pc passa o dia ligado, é só a questão de ter que o desligar na escola e voltar a ligar em casa e não costumo misturar os devaneios.

Como se faz ginástica? Como se vai brincar com os filhos ou saber como lhes correu o dia? Como é que se tem tempo para namorar(não é o meu caso mas é o teu)?..... essas coisas

O ovo estrelado disse...

...ginástica!?...todos os domingos por voltas das 7h30 da manhã 16/18 km! Quando chego a casa ainda se toma pequeno alomoço, brincar...claro!??(riso)um dia quando tiveres filhos vais entender a tirania das horas que faltam... ao fim de semana,claro! durante a semana só nos conseguimos reunir entre o fim do telejornal e o principio do jornal da 22 na 2, altura em que o bando marcha para cada quarto! Restam então poucas horas para o namoro, ,é verdade, mas a vida na urbe é mesmo assim!A compensação sabe sempre bem!! fins de semana!? sábados preenhidos, se não é o pai que trabalha é a mãe que vai dar uma perninha...é assim, para quem trabalha no privado!!...o domingo é dia santo...não se trabalho, só família! A vida aqui Na stressolândia é assim mesmo! Um dia experimenta!...já trabalhaste no Porto!? ou em Lisboa!? Não é possível comparar com o relaxe de trabalhar numa cidade pequena como Braga!!...Aqui é mais, digamos excitante. O truque é, a chamada "ditadura das horas"! Estipulas um programa...e optimizas o tempo de cada tarefa. Desenrascanso cronometrado. Mas numa coisa tens razão...quando chega a primeira semana de Agosto, e olhamos para trás temos de ter pena de nós próprios...simplesmente não vivemos como vocês aí. Eu quando estou aí dou talvez mais valor à vivência do vosso quotidiano. Sabes quantas horas perco por dia em transportes públicos (sem chuva)?...2 horas! com chuva vamos ser optimistas 3 horas. Se levar carro com chuva, chega às 4 horas e trabalho a tão somente a distância entre a tua escola e Braga!...Ontem foi curioso. Faltou a luz, e sem luz não há aquecimento central, gás e água (pelo menos aqui!)...felizmente ainda tinha umas canhotas de azinho! Lareira com elas...todos no sofá, como os meus serões ai em cima "no lume da lareira" da casa da minha avó...os pequenos adoraram...o tempo tem o tempo que o vento leva, mas que não nos encanta! O tempo tem, o tempo leva, a ténue lembrança.

Beijos pá...

PS: vi as imagens na televisão e fui a correr telefonar para ai! sortuda...nevou!!...

ALFF disse...

Ainda tentei ir para Lisboa trabalhar, quando terminei a universidade mas só de ir aí na correria dos transportes já ficava a pensar se efectivamente era aquilo que eu queria para mim. Sei que aí há mais oportunidades, sei que não fui parar aí por uma unha negra e hoje agradeço por me terem permitido ter trabalho por cá. Não há nada que pague a vida aqui. Eu posso ir aí à stressolandia, que adoro, mas viver aí não me conseguia imaginar. Eu adapto-me muito bem a quase tudo, mas aí para viver bem tinha que ser no centro da cidade em frente ao local de trabalho :D

Tava a ver que a trabalhar essas horas por dia eras um super heroi, não que não o sejas, mas já estava a ver que eu tinha algum grande defeito temporal.