06/01/2009

...serenidade


Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte
Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra
Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza
Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura

Zéca Afonso

...e depois de entregar o ouro incenso e mirra, foi hora dos Reis anunciar as declarações de Herodes: estamos em Recessão Técnica.
Foi hoje mesmo, apesar de ontem o nosso PM ter timidamente aflorado o assunto!A questão que se coloca é por carga de água andavam o Ministro das Finanças e o PM tão optimistas, e o Ministro da Economia a anunciar o fim da crise! Para quê!?! Verdade meus senhores, verdade e frontalidade!
Portugal é o único país que está habituado a viver em crise. Já vivemos à 8 anos em crise. Os portugueses sabem viver com salários abaixo da inflação, agora não sabemos é conviver com desemprego. Para grande infelicidade nossa, temos sérias limitações macro-económicas, que nos empurram sistematicamente para os últimos lugares do pelotão, bem perto do "carro vassoura" . Isso sim é um drama. Basta olhar para quem anda na rua e para o número de novos-pobres que acorrem em auxílio!

...serena, foi a observação do Governador do Banco de Portugal: as metas definidas na elaboração do OE 2009 eram irrealistas!Bem haja quem tem a lucidez para falar verdade (isto começa a tornar-se um hábito na classe dirigente!!).
Tudo se conjuga para que este ano "muita neve cai na serra", e que o "vento do norte" não mude!

Haja portanto ânimo para enfrentar o "vento do norte" e para combater o desânimo mas sobretudo, haja boa vontade para dar sem receber!...

(foto Dorothea Lange/Corbis)
Uma sobre reacção dos agentes económicos, sobretudo dos bancos ao impedirem ou dificultarem o acesso ao crédito pode provocar uma depressão. Será que o povo é capaz que manter a serenidade?

2 comentários:

ALFF disse...

Essa boa vontade para dar sem receber juro-te que em dias como hoje revolta-me um pouco. Passo a explicar. Para além da cena do capô que já sabes, a minha bela irmã contava-me hoje que o seu belo noivo recebeu um fulano do instituto de emprego para a sua nova loja porque era obrigado a contratar alguém, mesmo sem precisar. Mas já que o lá tinha tentou ajudar o fulano. Só que para além de cumprir pouco aquela coisa estranha chamada pontualidade, vem tentar vender material (quadros eléctricos e outras coisas do género) para uma aldeia do topo do Alto Minho cheio de piercings, calça rota, crista e sei lá que mais... Para além de sair do desemprego o meu futuro cunhado ainda lhe deu um incentivo como prémio de vendas, o que ele não quis saber, pois ao sábado não tá estabelecido trabalhar pelo centro de emprego, porque não tem que fazer mais que oito horas diárias e nem sei que mais, pois não quis ouvir mais nada. O meu cunhado precisa de um fulano que tenha espírito de vendedor mas em simultâneo e principalmente perceba de electricidade. Achas normal não haver ninguém que queira. Porque o fulano está a demonstrar não querer e que vive bem melhor do subsídio pois como já disse o outro, de manhã está bem é na caminha.

Haja paciência! Tudo bem que está mau, que muitos querem e não conseguem, mas sabes o que vejo em muitosssssssssss, é falta de olho. As pessoas não querem trabalhar, querem um emprego e que não dê para partir a unha, ou esfolar a pele ao sol.

Eu vejo no jornal da terra o mesmo anúncio há meses. A pedir uma jovem para trabalhar a terra e um cozinheiro para um restaurante. Acredito e compreendo que não seja a aspiração de uma jovem, mas muitas por cá aprenderam, onde é que estãooooooo?!
O que faz esta gente aos cursos que agora lhes oferecem, com portáteis e tudo?!
Juro que não percebo. Mais uma vez quem é que vês a limpar as casas de banho do shopping aí da tua zona? Quem vês nas obras públicas a picar pedra?

Existe uma "classe" da sociedade que não tem culpa e que infelizmente me assusta mas têm cada vez menos atenção, menos respeito por eles, que é os idosos.
Não sou contra as tecnologias, trabalho com elas, mas desculpem o termo o Sócrates que meta os PC's num sítio que eu cá sei e dê aumentos a esta gente que vive abaixo do limiar da pobreza, que dê condições dignas para os nossos idosos poderem ter um fim de vida digno.

Ou eu ando mesmo insuportável ou então anda tudo louco.

ALFF disse...

Nota: Adorei as fotos, não pelo conteúdo da paisagem mas pelo preto e branco.

Ainda hei-de tirar um curso de fotografia quando me reformar lá prós 70 anos :)

Sim porque de modelo já faço, só tenho que trocar de papel ;)